MEGA FLASH WEB RADIO

RADIO MEGA FLASH

IMPERIO BURGER-CAPELA

IMPERIO BURGER-CAPELA

Translate

30 outubro 2007

DISCO MUSIC

História
Não se sabe exatamente como e quando o movimento disco começou. Alguns dizem que ele surgiu no início dos anos 70, nas discotecas de Chicago, Nova York e Filadélfia, onde haviam festas totalmente dançantes, freqüentadas por um público alternativo. Outros afirmam que a disco music só começou mesmo depois da abertura da Studio 54 - em Nova York - e do lançamento do filme "Embalos de Sábado à Noite" em 1977, que foi a época em que a mania se espalhou pelas rádios, gravadoras, discotecas e estava gerando bilhões por ano. No entanto, a Disco não foi um gênero musical pré fabricado, criado em um curto período de tempo em que se possa estabelecer um ponto original determinado. Isso porque quando se fala da Disco Music, define-se um estilo musical que surgiu a partir da transformação de elementos de diversos gêneros musicais como do Soul, Jazz e Funk. Assim, para contar a história da música Disco é preciso viajar um pouco em cada um desses estilos até que se tenha formada a chamada Disco Music.
Comportamento
Os anos da Disco foram chamados de Era do Brilho, época em que as mulheres auto afirmaram-se frente à sociedade machista e utilizaram-se de figurinos sexy e luxuosos para demonstrar também a sua importância e seu esplendor para todos que as discriminavam.
A música com os arranjos feitos por instrumentos de cordas e sopro deram um suporte para uma empostação de voz feminina de forma que elas começaram a ganhar liberdade para interpretar as músicas ao seu modo. A beleza que a música Disco ganhava com a participação feminina favorecia a queda de antigos preconceitos da sociedade contra elas. Isso quando as letras para vocalistas femininas, antes caracterizadas pelas incertezas, melancolia de espírito, indecisão traziam na época mulheres inteligentes, controladoras do seu próprio destino e decididas. Música como "Queen of Disco", de Ruby Andrews; "Catch Me on the Rebound" de Loleatta Holloway’s e "I Will Survive" de Gloria Gaynor, são exemplos de músicas em que as chamadas divas da Disco interpretavam mulheres absolutamente independentes.
Além das mulheres, outros grupos que antes foram discriminados começavam a ganhar mais liberdade. A Disco Music revolucionou a maneira das pessoas se socializarem levando-as ao fantástico mundo da discoteca onde pela primeira vez na história pessoas de todas idades, diferentes origens étnicas e orientações sexuais podiam olhar para frente e serem atendidos com dignidade. Existiam algumas discotecas mais sofisticadas que não eram espaços tão abertos assim, eram locais que escolhiam a dedo as pessoas que podiam entrar no estabelecimento. Como exemplo temos a Studio 54, que permitia a entrada somente das pessoas mais bonitas ou famosas.
Entretanto, mesmo nesses lugares encontrava-se todo tipo de pessoas que mesmo com suas diferenças se respeitavam e seguiam a ordem de todas as casa noturnas que era a Diversão. O comportamento da época era totalmente direcionado para o lazer, em que a dança era muitas vezes acompanhada por bebidas, drogas e sexo à vontade. Um exemplo claro sobre a forma de pensar e viver a vida da época está retratada no filme "Studio 54" que conta a história da discoteca mais famosa de Nova York, onde a liberdade era geral; as bebidas se misturavam com drogas que eram vendidas e consumidas no local e o sexo era explícito em espaços específicos da boate. "Boogie Nights" também é outro filme que retrata bem os ideais que os jovens tinham na época. Entre inúmeros outros filmes que tematizaram a época e que valem a pena ser assistidos por todos que curtem a Disco Music, estão: "Saturday Night Fever", "Grease" e "Thanks God It’s Friday".